Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nosso site. Conheça nossa Política de Privacidade
Aceitar

Notícias do mercado imobiliário

Quais são as tendências imobiliárias?

Quais
são as tendências imobiliárias?



O setor de prédios comerciais foi um dos mais
afetados, mas não foi o único. A pandemia também acelerou mudanças que já
vinham acontecendo no mercado de
imóveis. Para entender como está o mercado imobiliário hoje, vamos ver
algumas tendências que se mostram promissoras para 2022.



 1º Mudança
para o interior



Com o home office, pode-se trabalhar de
qualquer lugar — desde que tenha uma boa conexão de internet. Assim, para
profissionais que podem desempenhar as suas funções de casa, a pandemia só
acelerou uma tendência que já vinha acontecendo: a de sair da capital e morar
no interior.



São várias as vantagens dessa mudança: melhor
qualidade de vida, menos trânsito, distâncias menores, mais natureza perto de
casa e mais interação com os vizinhos. Ainda que exista a necessidade de se
deslocar algumas vezes para a sede da empresa, o investimento no interior
costuma compensar.



 2º Residências
maiores

Para quem está em home office, é fundamental
ter um espaço específico para montar o escritório. Além de separar o trabalho
do restante da residência, isso traz mais conforto para o profissional e a sua
família. Se 
uma casa ou um apartamento mais espaçoso
não for uma alternativa possível, a readequação dos ambientes já ajuda a ter
esse local reservado.



 3º Morar
perto do trabalho



Caso a opção de home office não se torne
permanente em algumas empresas, outra tendência é a procura por casas ou
apartamentos que sejam perto do trabalho. Isso já evita ficar muito tempo
parado no trânsito. Dá para aproveitar melhor o dia e ainda economizar
combustível, por conta da distância.



 Taxas de juros, economia e cenário político

Acompanhar as notícias do
mercado imobiliário ajuda a tomar decisões sobre compra, venda ou
aluguel de imóveis. Dessa forma, a tarefa de entender como está o mercado
imobiliário no pós-pandemia deve considerar uma série de fatores, que
influenciam o mercado como um todo.



 Alta da
taxa Selic



A taxa Selic, que é referência no mercado
financeiro, está em 9,25%. A taxa básica de juros da economia brasileira
interfere diretamente nos juros cobrados pelos bancos para empréstimos e
financiamentos; ou seja, financiar um imóvel pode ficar mais caro. 



Mas a Caixa Econômica Federal, a maior
financiadora imobiliária do Brasil, anunciou que não vai aumentar os juros de
financiamento, o que pode influenciar os demais bancos a fazerem o mesmo. De
qualquer maneira, pesquise as condições que as instituições oferecem na hora de
fazer o financiamento.



 Inflação
alta



O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M),
medido pela Fundação Getulio Vargas, ficou em 17,78% em 2021. Conhecido como a
inflação do aluguel, ele tem papel fundamental no reajuste dos contratos neste
ano. Vale aqui tentar entrar em acordo com o proprietário para que o aumento
fique bom para ambos os lados.



 Economia



A economia
no Brasil sofre interferências diretas da volta das atividades
econômicas, do controle da pandemia e do cenário político. Com as eleições
presidenciais em 2022, entender como está o mercado imobiliário e como ficará
vai fazer a diferença na hora de investir em imóveis.



Diante disso, os analistas acreditam que o
ritmo de construção de novos empreendimentos se mantenha igual ao registrado em
2021. Portanto, não deve haver um aumento significativo na quantidade de novas
construções em relação ao ano anterior.



 Como
está a procura por imóveis?
Saiba mais na Melhortaxa



Agora que você sabe como está o mercado
imobiliário e as principais tendências pós-pandemia, que tal fazer simulações
sobre valores de financiamento imobiliário? Veja no site da Melhortaxa como
você pode simular financiamento, consultar as taxas atuais de crédito e até
fazer a portabilidade do seu crédito imobiliário!



 

12/07/2022